Casa Invisível

Casa Invisível

 

A Casa Invisível desenha-se no ar, seja onde for, com a ponta dos dedos de quem quiser entrar. Não se vê, mas ocupa qualquer espaço: uma biblioteca, um teatro, um museu, uma escola, uma praça, um mercado, um jardim, um barco, uma fábrica abandonada ou uma camioneta.
Apostamos no trabalho direto com diversos públicos, dando especial enfoque aos mais novos, nas áreas do teatro, da mediação cultural, da educação artística, da promoção da literacia e da formação.
A escolas e famílias proporcionamos visitas orientadas e encenadas, animações de leitura, histórias-concerto e oficinas. As formações destinam-se habitualmente a professores, bibliotecários ou educadores.
Cá em Casa somos três, a Catarina Claro, a Madalena Marques e a Susana Pires. Façam o favor de entrar e de se sentir à vontade. A Inês faz as honras. Há muito por contar e tanto por experimentar. Os sapatos podem entrar, a vergonha fica à porta.
A experiencia conjunta de um livro é cheia de emoções, de interações ou de perguntas. Surpresas acontecem quando os livros ganham voz. As crianças ficam de olhos arregalados e os livros gostam tanto de ter um grupo a quem falar. Num ambiente confortável e informal entramos num livro. Conta-se a sua história, conversa-se e brinca-se. Uma vez a história dentro das ideias, criamos algo a partir dela, seja com o corpo, colagens, comida ou sons.