ARTISET

A ARTISET – Associação de Artistas Plásticos de Setúbal, é uma associação sem fins lucrativos, constituída em 16 de Março de 1991, que tem como missão fundamental a dinamização e promoção da actividade artística na região de Setúbal, e o apoio aos seus associados, quer na divulgação das suas obras, quer na realização de iniciativas que promovam a sua valorização artística.

A associação colabora ainda na promoção artística junto da população mais jovem com intervenções no sentido de incentivar o gosto e a cultura das Artes junto daqueles que farão o futuro, estando para tal aberta a colaborações com as escolas, assim como quaisquer outros organismos que entendam como útil a nossa presença.

No âmbito da parceria com a Casa da Cultura de Setúbal, mantemos no Espaço das Artes deste equipamento, exposições temporárias de Artes Plásticas (contínuas e com a duração de 15 dias), aulas e worksghops diversos, tanto para adultos como para crianças, assim como outras actividades que tenham por fim a divulgação das artes.

Telem: 918 585 828 e 918 928 573
geral.artiset@gmail.com
www.artiset.net

Associação José Afonso

A Associação José Afonso é uma associação cultural e cívica, não confessional, formada em torno da memória e do exemplo de José Afonso, evocado no dia da apresentação pública, ocorrida em 18 de novembro de 1987, “enquanto artista‐militante, expoente de cultura aberta e universalizante, combatente de todas as causas verdadeiramente solidárias, como Homem, enfim. Na sua dimensão exterior, mas também na intimidade dos seus muros. Na irmandade ativa com os humilhados, na sintonia com as aspirações dos povos à libertação total, nessa luta, em suma, a que nunca virou a cara; mas, igualmente, no crítico alertar contra as formas mais subtis de servidão das inteligências, no esforço de superação criativa, no horror à hipocrisia intelectual geral, na sua grande fraternidade, na suprema tolerância de espírito, inquieto, insatisfeito, permanentemente autoquestionador”.

Transmudar esse legado, que é de todos quantos o admiraram e admiram, acrescentava o mesmo documento de apresentação, em objectivos concretos que caibam no âmbito das atividades da Associação “será tarefa do dia a dia, para o qual concitamos os esforços de quem esteja verdadeiramente interessado no seu papel e no seu destino”, sublinhando ainda que a “Associação José Afonso é uma porta aberta. Não se quer feudo de ninguém, nem a realização dos seus objetivos se compatibiliza na conceção circular restrita de aderentes.

Alliance Française

A Alliance Française em Setúbal

Presente em Setúbal desde 1981, a Alliance Française é uma associação cultural que tem como objetivo a promoção da língua e da cultura francesas, assim como da cultura francófona. Inserida numa rede mundial (mais de 800 em 130 países) e numa rede nacional (Beja, Caldas da Rainha/Santarém, Coimbra, Faro, Guimarães/Braga, Leiria, Lisboa, Porto, Setúbal e Viseu), a Alliance Française organiza cursos de francês geral para adultos e jovens, desde o nível A1 ao C2, cursos para um público profissional com objetivos específicos nas áreas da saúde, construção civil, hotelaria e turismo e também cursos de português para estrangeiros.

A Alliance Française de Setúbal organiza ao longo do ano várias atividades culturais em colaboração com a Câmara Municipal de Setúbal, como a Festa da Francofonia em Março e a rubrica “O Filme Francês do Mês”, na Casa da Cultura, que consiste na projeção de uma obra todas as primeiras 5ªs feiras de cada mês.

A Alliance Française Setúbal encontra-se ainda a participar numa colaboração conjunta entre a Câmara Municipal de Setúbal e o Institut Français, na realização anual da Festa do Cinema Francês desde 2014, inserida na programação oficial desta entidade, bem como em outras atividades ao longo do ano no âmbito do cinema.

Sociedade Musical Capricho Setubalense

No final do Antigo Regime, as mudanças políticas e económicas verificadas ditaram uma alteração das práticas culturais em Portugal. A Igreja limitou-se à liturgia e a Cultura saiu do domínio doméstico dos salões aristocráticos para ocupar o espaço público. O desenvolvimento das grandes urbes e o crescimento de uma próspera burguesia urbana que procurava copiar os modelos das cosmopolitas capitais europeias impulsionaram a criação de bandas filarmónicas. Neste contexto, na Setúbal recém-elevada a cidade, é fundada, em 22 de novembro de 1867, a Sociedade Musical Capricho Setubalense e a sua Banda de Música.

A Capricho Setubalense é uma associação cultural que tem por objeto a promoção da criação e da fruição cultural e artística, em especial da música. A associação está sediada no coração do centro histórico da cidade e tem construído uma relação estreita com este território e com os agentes que sobre ele intervêm. Não obstante, pela sua oferta singular e como polo de atração cultural, foi sempre uma associação da cidade, como o revela a dispersão dos seus associados e públicos pelos diversos núcleos urbanos de Setúbal.

Fiel ao código genético da sua herança de 145 anos de história e de atividade, a Capricho Setubalense mantém em intensa atividade a sua Banda de Música e o seu Grupo de Teatro, cuja tradição na vida da associação e da cidade ultrapassa a centena de anos. Do mesmo modo, a sua Escola de Música constitui-se como pedra angular na promoção e democratização do ensino da música. Complementam estas atividades regulares a oferta na área da dança, com diversas classes e estilos.

Nos últimos anos, o incremento da atividade cultural em Setúbal impeliu a Capricho Setubalense a abrir o seu espaço às novas tendências da criação artística, às demais entidades associativas e estruturas culturais, assim como aos crescentes grupos informais, especialmente de jovens. Bandas de garagem de distintas expressões musicais, artistas plásticos, músicos, grupos de teatro e de dança, associações de diversa natureza e estudantes encontraram na Capricho, mais do que um espaço de acolhimento, um parceiro disponível para a construção de projetos culturais conjuntos. A programação cultural dos espaços da Capricho Setubalense tornou-se um exercício inultrapassável, com uma oferta regular intensa nas mais variadas manifestações artísticas, e o trabalho em parceria, uma regra.

A criação da Casa da Cultura de Setúbal, projeto do qual a Capricho Setubalense é uma das entidades parceiras do Município, constituiu-se como uma ampla oportunidade que se vem confirmando nos escassos meses que já tem de atividade. Uma oportunidade para alargar a oferta educativa da Escola de Música da Capricho a novos instrumentos musicais e ao público infantil. Uma oportunidade para convergir artistas e criadores de distintas expressões para um equipamento multifacetado que funciona cumulativamente como balão de ensaio e montra do trabalho artístico que se desenvolve na cidade e na região. Uma oportunidade para unir estruturas culturais e associativas sob o epíteto da criação cultural em parceria, em rede e multidisciplinar. Uma oportunidade para convocar novos e renovados públicos, dos mais jovens aos mais vividos, incluindo os que redescobrem em Setúbal uma dinâmica criadora e criativa que julgavam adormecida. Uma oportunidade para criar e consolidar um novo e inovador modelo de governância para um equipamento cultural.

Centro de Estudos Bocageanos

O Centro de Estudos Bocageanos manteve a sua vocação editorial, publicando uma obra que integra uma coleção que recupera as obras de vulto da autoria de escritores ligados, por nascimento ou residência, à nossa cidade: Clássicos de Setúbal. O Padre Malagrida: o Último Condenado ao Fogo da Inquisição, de Daniel Pires, trata do ajuste de contas entre o Marquês de Pombal e os jesuítas, em antagonismo devido a problemas que se levantaram a propósito da colonização do Brasil e da natureza do Terramoto de 1755. Álvaro -Arranja, com uma assinalável recetividade, conduziu uma visita guiada aos lugares da cidade onde se desenrolaram eventos de vulto durante o período republicano (1910-1926). A Casa da Cultura e o Centro de Estudos Bocageanos receberam a visita de várias turmas de alunos do ensino infantil e do secundário. Foram igualmente anfitriões dos estudantes da Universidade Sénior, que frequentaram uma aula ministrada por um dos elementos do Centro, a qual versava a época de Bocage. Ainda no âmbito das atividades do Centro, é publicada, há treze anos, com periodicidade mensal, pelo Setubalense, uma página cultural que visa predominantemente a história e a literatura locais.

Artes Café

Quando sonhámos o Artes Café, sonhámo-lo como um largo de aldeia, onde as pessoas se encontram, convivem, onde se discute, se ri, onde se sonha e se cria.

Aqui se lançaram livros, se expuseram traços de arte, aqui se ouviram ambientes musicais escolhidos por diferentes amantes de música, aqui se debateu a vida e o futuro, aqui se construiu uma árvore de Natal com o que cada um trouxe… livros.

Aqui se cantou em coro. Aqui se pensou e sonhou, aqui se fez…

Ao longo destes curtos meses, o Artes Café tem sido o Largo da Casa da Cultura, onde tem acontecido e se tem feito acontecer.

Entre um chá de comércio justo, um bolo caseiro, um tinto de referência ou um vinho quente, aqui se entra com um sorriso e se sai com um brilho nos olhos… e diz-se até amanhã!

Casa Invisível

A Casa Invisível desenha-se no ar, seja onde for, com a ponta dos dedos de quem quiser entrar. Não se vê, mas ocupa qualquer espaço: uma biblioteca, um teatro, um museu, uma escola, uma praça, um mercado, um jardim, um barco, uma fábrica abandonada ou uma camioneta.

Apostamos no trabalho direto com diversos públicos, dando especial enfoque aos mais novos, nas áreas do teatro, da mediação cultural, da educação artística, da promoção da literacia e da formação.

A escolas e famílias proporcionamos visitas orientadas e encenadas, animações de leitura, histórias-concerto e oficinas. As formações destinam-se habitualmente a professores, bibliotecários ou educadores.

Cá em Casa somos três, a Catarina Claro, a Madalena Marques e a Susana Pires. Façam o favor de entrar e de se sentir à vontade. A Inês faz as honras. Há muito por contar e tanto por experimentar. Os sapatos podem entrar, a vergonha fica à porta.

A experiencia conjunta de um livro é cheia de emoções, de interações ou de perguntas. Surpresas acontecem quando os livros ganham voz. As crianças ficam de olhos arregalados e os livros gostam tanto de ter um grupo a quem falar. Num ambiente confortável e informal entramos num livro. Conta-se a sua história, conversa-se e brinca-se. Uma vez a história dentro das ideias, criamos algo a partir dela, seja com o corpo, colagens, comida ou sons.

DDLX

A DDLX é uma empresa de design de comunicação representada em Setúbal e Lisboa. A nossa proposta para a Casa da Cultura é a seguinte: a casa, a intimidade que sugere e as condições que cada um lhe confere, proporciona ao autor o ambiente para a criação. A casa de um autor é a sua oficina. O espaço em que o autor trabalha é importante porque é aí que ele desenvolve as ideias que o revelam ao mundo.

O ponto de partida para as exposições e para as conversas com os autores partem dessa premissa: mostrar o princípio de tudo. Revelar os enleios que levam o autor a desenvolver uma ideia e a transformá-la em objeto da nossa curiosidade intelectual.

Muito Cá de Casa – Esta rubrica pretende reunir público com autores. Lançamentos de livros ou outros acontecimentos editoriais são prioridade para esse encontro. As apresentações serão feitas pelo próprio editor da obra, fazendo com que se cumpra a premissa inicial. Muito cá de casa são todos os que por cá passam.

Aqui Para Nós – Aqui pretende-se discutir o nosso viver comum. A política, a economia e a cultura são preocupações permanentes que nos assaltam e comovem. Nestes debates tentaremos falar da atualidade que nos rodeia. Do passado e da vontade de futuro. O contraditório é bem-vindo. A discussão é fundamental à democracia.

Exposições – Três rubricas norteam as exposições por nós sugeridas. No Estúdio Do Fotógrafo, No Ateliê Do Artista e À Volta Dos Desenhos.

Também aqui se pretende estabelecer ligação ao autor e à sua intimidade criativa. Apareçam.

Enclave

Enclave – Cultura em Movimento é um projecto multi-disciplinar, criado em 2012, que promove a dança social como ponte entre pessoas e culturas e como instrumento de intervenção comunitária, de integração e de participação cidadã. Trabalhamos com ritmos e estilos de origem diversa como a Salsa, o Tango argentino, a Bachata, o Forró e o Samba de Gafieira, que se caracterizam por serem dançados a par e com uma forte componente de improvisação.

Para além de organizar aulas regulares, workshops e bailes de danças sociais, colaboramos com entidades como a Câmara Municipal de Setúbal, em iniciativas como a “Dança na Rua”, ou o projecto de dança senior “Envelhecer com Saúde”. Paralelamente coordenamos também o projecto “Dança sobre Rodas”, que visa ajudar a divulgar e implementar, em Portugal, a modalidade paralímpica de dança desportiva em cadeira de rodas.

Aquilo que nos move é a vontade de partilhar com a comunidade a nossa paixão pela dança como uma forma de arte de carácter universal, um veículo para a expressão e o crescimento pessoal, que ajuda a promover o encontro entre pessoas e culturas diversas.

Contactos
João Santos –917052293
Lilian Rivera – 916831783
salsaemsetubal@gmail.com
www.facebook.com/salsaemsetubal

Festa do Teatro

O Festival Internacional de Teatro de Setúbal – Festa do Teatro, organizado em parceria pelo Teatro Estúdio Fontenova e a Câmara Municipal de Setúbal, é um momento cultural de relevo na cidade de Setúbal, proporcionando ao público autóctone e aos visitantes momentos de verdadeiro divertimento, de enriquecimento cultural e de crescimento intelectual, em que o teatro assume o papel de dinamizador de redes de difusão, permitindo a interligação de experiências e a movimentação de espectáculos.

É também um agente impulsionador de turismo cultural e de igual importância para a economia local.

O Festival oferece uma programação que mostra a variedade do espectro criativo existente no país e além-fronteiras, sempre pugnando pelo seu valor artístico e social.

O Festival Internacional de Teatro de Setúbal – Festa do Teatro é um dos eventos de Setúbal com mais visibilidade e destaque nos media a nível nacional e começando já a fazer notar-se a nível internacional.

Desde teatro, música, curtas-metragens, debates, concertos, performances, espectáculos de sala e de rua, formas artísticas de natureza transdisciplinar aos artistas emergentes, o Festival serve de interlocutor entre estes e a comunidade, potenciando hábitos de fruição cultural e apostando na formação de públicos e no desenvolvimento da sua capacidade crítica.

Manter este caminho é fruto da vontade de descoberta de novas linguagens, mas também exigência do público que tem transformado o Festival num evento de relevo a nível nacional e internacional.

«O teatro é um grande meio de civilização, mas não prospera onde a não há…»
Almeida Garrett

Galeria Zé dos Bois

A Galeria Zé dos Bois (ZDB) é uma Associação cultural sem fins lucrativos, criada por iniciativa civil em 1994. Um centro cultural de 2500 m2 localizado no centro do Bairro Alto, no antigo Palácio Baronesa de Almeida.

Enquanto estrutura de criação, produção e promoção para a arte contemporânea, a ZDB instiga a pesquisa e investigação nas artes visuais e performativas e também na imagem e na música.

Anualmente, a ZDB apresenta exposições que produz, e acolhe/co-produz mais de 150 outros projetos artísticos, incluído residências, ações educativas, apresentações de teatro, dança e música, numa programação eclética.

Movida pelo desejo de intensificar com os criadores práticas de criação e produção, a ZDB promove residências internacionais e nacionais e estabelece relações profissionais a longo prazo com o objetivo de produzir projetos únicos.

Baseado nesta premissa, A Casa da Cultura e a Galeria Zé dos Bois (ZDB) estabeleceram uma parceria que irá trazer a Setúbal, à Casa da Cultura concertos com a chancela ZBD. A Sinergia entre estes dois espaços de criação contemporânea, pretende estabelecer experiências artísticas e promover a criação artística através da sua produção e difusão.

UNISETI

A UNISETI – Universidade Sénior de Setúbal, CRL, é uma sociedade cooperativa de ensino com fins sociais, inscrita no Instituto António Sérgio e que iniciou a sua actividade em 3 de Novembro de 2003. De acordo com o seu objecto social, desenvolve actividades educativas, culturais, formativas, predominantemente junto da população sénior, nomeadamente ministrando cursos livres de ensino superior, estabelecendo parcerias com universidades congéneres e outras entidades que visam idênticos fins.

A Universidade Sénior de Setúbal está instalada, desde Setembro de 2013, em instalações sitas no Parque do Bonfim, cedidas generosamente pela Câmara Municipal de Setúbal, onde decorre a maioria das suas actividades lectivas. A sua intensa vida socio-educativa e cultural faz com que recorra regularmente a instalações de outras entidades privadas que coabitam o mesmo espaço urbano, como o Clube Setubalense, Ateneu Setubalense, Clube Naval de Setúbal, e autárquicas como a Biblioteca Municipal de Setúbal, Auditório Charlot, Casa da Baía e, naturalmente, a Casa da Cultura. Aqui promove regularmente eventos, sobretudo através do Centro de Iniciativas Manuel Medeiros – CIMM, um departamento da UNISETI que divulga regularmente poetas setubalenses e promove debates sobre temas do património cultural e natural da região de Setúbal.

A oferta formativa é extremamente diversificada e vai da História, Filosofia, Psicologia, Literatura, às Línguas, à História de Arte, Ecologia, Turismo, História da Cultura, Conhecer Setúbal, Informática, Teatro, Artes Plásticas e Visuais. Oferece também um diversificado programa de turismo sénior e tem em funcionamento um grupo de cantares tradicionais, um coro, e, de uma forma inédita, promove este ano aulas de fado. Dedica especial atenção à actividade física e ao cuidar da saúde e do bem estar psíquico dos seus alunos, designadamente através de aulas de geriatria, naturalogia, nutrição, educação física, yoga, hidroginástica, entre muitas outras.

A Uniseti promove ainda aulas abertas e visitas de estudo ao país e estrangeiro. Mantém em actividade um Cineclube, o CINE MAIOR IDADE, com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal, que realiza mensalmente ciclos temáticos, com uma média de cerca de 200 espectadores por sessão. Desde 2013, leva a efeito a UNIVERSIDADE DE VERÃO constituída por seminários, palestras e workshops, que estão concebidos como um espaço privilegiado de qualificação de conhecimentos, de debate e reflexão sobre as áreas e ateliês que a integram, completando assim os objectivos das disciplinas curriculares e fomentando a preparação cultural, técnica e prática dos participantes. A Universidade de Verão não se destina apenas a alunos da UNISETI, antes está aberta ao público em geral inserindo-se, assim, na rede de oferta que a cidade de Setúbal põe à disposição de todos os seus cidadãos.